Conheça o papel da medicina do trabalho nas empresas

A medicina do trabalho é fundamental para a gestão de pessoas de uma empresa, uma vez que atende diversas obrigações trabalhistas referentes à Saúde e Segurança do trabalho (SST) assim como procura promover o conforto e o bem-estar dos funcionários.

Mas você sabe do que se trata? Apesar de ser um termo bastante falado, muitos não entendem o que é a medicina do trabalho e qual a sua importância.

Pensando nisso, preparamos este artigo para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. Saiba mais!

O que é medicina do trabalho?

A medicina do trabalho, também conhecida como medicina ocupacional, é uma especialidade médica que atua na preservação da saúde física, mental e social dos trabalhadores. O foco é manter a higidez e a segurança dos funcionários das empresas públicas ou privadas.

Esse ramo de atividade envolve a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças ocupacionais, sendo realizado pela integração de médicos e enfermeiros do trabalho.

O médico do trabalho é o profissional responsável por realizar os exames tanto antes da contratação de um funcionário (admissional), como durante (periódico) e após o encerramento do contrato (demissional). No caso de haver alguma mobilidade funcional (mudança de função) ou afastamento do trabalho por um período superior a 30 dias, exceto férias, também há necessidade de se realizar uma avaliação médica (retorno ao trabalho).

Dessa forma, ele tem o papel de verificar a capacidade laborativa do trabalhador, através de avaliações periódicas para acompanhar o seu estado de saúde e evitar o desenvolvimento de doenças causadas pelo exercício de suas funções.

Qual a importância da medicina do trabalho?

A aplicação das medidas de segurança e medicina do trabalho é fundamental para que a empresa cumpra as obrigações trabalhistas determinadas pelas Normas Regulamentadoras (NRs). Isso sem falar também no seu papel social, tendo em vista que as relações trabalhistas afetam a sociedade de forma direta e indireta.

Essas normas buscam regulamentar diversas situações que podem ocorrer no ambiente laboral, principalmente por meio de programas de prevenção. Dessa forma, uma atuação conjunta entre a medicina e a segurança do trabalho, busca assegurar condições dignas para os trabalhadores e a melhoria do ambiente laboral como um todo.

De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, no artigo 168, e a Norma Regulamentadora n.º 7, que institui o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), as empresas devem obrigatoriamente realizar exames ocupacionais de seus empregados.

Segundo a mesma norma, ainda é necessário providenciar a emissão do Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) para cada exame realizado, com indicação da aptidão ou não do trabalhador para o exercício de determinada função.

Por isso, observar essas regras também é importante para que o empregador evite problemas com as fiscalizações ou com os processos judiciais, que podem trazer grandes prejuízos.

Quais são os benefícios da medicina do trabalho para as empresas?

Além de garantir o cumprimento da lei e a regularidade da empresa, cumprir as normas da medicina do trabalho traz outros benefícios. Confira os principais deles!

Garantir a integridade física dos funcionários

Ao implantar e seguir corretamente as medidas de segurança e medicina do trabalho, a empresa garantirá a saúde e a integridade física dos seus colaboradores, desde a atuação preventiva até o suporte ao empregado ou seus familiares diante de alguma ocorrência.

Além disso, com os exames realizados, é possível verificar as condições de saúde do trabalhador desde a sua admissão até o desligamento da empresa, fundamental para evitar problemas devido a doenças do trabalho alegadas após a demissão do colaborador.

Evitar afastamentos do trabalho

Com essas medidas preventivas, é possível reduzir a incidência de doenças ocupacionais ou não entre os trabalhadores. Como consequência, os atestados e afastamentos de colaboradores para tratamentos médicos — inclusive com o recebimento de auxílio-doença — são reduzidos.

Aumentar a produtividade

Quando a empresa segue as normas de medicina e segurança do trabalho, o empregado sente-se mais seguro no desempenho de suas funções. Além disso, a adaptação das doenças de base do colaborador (Ex: hipertensão, Diabetes, Hérnia de disco e etc.) à sua realidade de trabalho, reduz o presenteísmo, nocivo para o desempenho individual.

Dessa forma, o empregado fica mais motivado e sente menos o impacto das doenças no desenvolvimento de suas tarefas, aumentando a sua produtividade, o que  impactará diretamente nas rotinas e nas chances de sucesso do empreendimento.

Reduzir os custos com pessoal

Finalmente, com a gestão de saúde corporativa, a empresa conseguirá reduzir seus custos diretos e indiretos relacionados ao RH.

Isso por que, com os afastamentos de trabalhadores, é necessário que outros empregados supram essa falta para a manutenção da produção. Assim, além do custo direto do atestado, a ausência pode gerar o pagamento de hora extra para outro funcionário, ou ainda ensejar a necessidade de novas contratações, gerando mais custos para o empregador.

Além disso, dependendo das circunstâncias da ocorrência, a empresa também poderá enfrentar problemas na Justiça do Trabalho, inclusive com o pagamento de indenizações ao colaborador ou seus familiares, engrossando o passivo trabalhista da corporação.

Assim, o papel da medicina do trabalho é trazer mais saúde, segurança e bem-estar para o trabalhador, garantindo a melhoria do ambiente laborativo e beneficiando tanto os empregados quanto as empresas.

Gostou deste artigo? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e informe aos seus amigos qual é o papel da medicina do trabalho!

Autor

Escreva um comentário

Share This