Ergonomia no ambiente de trabalho: descubra seus benefícios.

Ultimamente, a ergonomia no ambiente de trabalho vem ganhando destaque entre as estratégias de vantagens competitivas de negócio.

Dessa forma, cada vez mais torna-se necessário que o trabalho, atividade essencial à vida humana, não seja encarado como uma fonte de frustração e/ou de desprazer. Ao contrário: a atividade laboral deve completar o indivíduo e aprimorar as suas relações na empresa e na vida pessoal.

Sendo assim, a ergonomia pode ser o instrumento que viabiliza essa adequação. Na verdade, ela constitui os elos entre a necessidade do trabalho e o bem-estar em sua realização.

Não sem razão, as ações implementadas pela ergonomia trazem melhorias na autoestima dos trabalhadores e na satisfação geral no trabalho.

Mas, afinal, o que é ergonomia e como ela pode ser implementada na empresa?

Continue com este post e entenda os porquês de adotar uma política de ergonomia no trabalho.

O que é ergonomia?

Ergonomia é uma palavra de origem latina, formada por ergo (trabalho) e nomus (regra). O significado da palavra, portanto, é o “conjunto de regras que regem o trabalho”.

Conceitualmente, a ergonomia é a ciência que estuda a interação entre o homem e o trabalho. Esse estudo visa a adequar o ambiente onde o indivíduo opera às suas condições anatômicas e psicofisiológicas.

Assim, o objetivo maior da ergonomia é proporcionar para os trabalhadores o máximo possível de conforto e segurança durante a realização dos processos laborais. Isso significa, em outras palavras, fomentar a promoção de qualidade de vida no trabalho.

De modo geral, podem ser considerados três ramos da ciência ergonômica:

  • ergonomia física: avalia as características anatômicas, biomecânicas e fisiológicas do trabalhador no desempenho de suas atribuições;
  • ergonomia cognitiva: avalia o comportamento mental do indivíduo frente às suas relações pessoais e com o trabalho;
  • ergonomia organizacional: avalia as características organizacionais, assim como a estrutura e os processos da empresa.

Quais os seus benefícios?

Os princípios da ergonomia, quando bem utilizados, trazem diversas vantagens diretas e indiretas para a empresa e para os seus funcionários. Entre os principais benefícios, podem ser destacados:

  • prevenção de doenças de cunho ocupacional, especialmente patologias do aparelho musculoesquelético (LER/DORT) e transtornos mentais;
  • redução do absenteísmo;
  • redução do número e da gravidade dos acidentes do trabalho;
  • diminuição da sinistralidade da apólice de saúde devido à menor utilização do plano;
  • incremento na autoestima e na produtividade do trabalhador;
  • melhoria na qualidade de vida dos colaboradores;
  • melhoria da satisfação geral entre os trabalhadores.

Como pode ser implantada na empresa?

Quando se implanta um programa de ergonomia na empresa, os trabalhadores podem observar mudanças tanto no ambiente físico, como ajustes na altura dos monitores e adequações no mobiliário, quanto na organização do trabalho (ex: instituição de pausas) e ainda no clima organizacional, com redução do stress ocupacional.

No entanto, muitos profissionais de Recursos Humanos (RH) ainda não conseguem identificar outras medidas, além da ginástica laboral, que podem ser úteis para uma efetiva implantação da ergonomia nos ambientes de trabalho.

Isso pode ser conseguido por meio da seguinte estratégia:

  • Realização de uma AET (Análise Ergonômica do Trabalho) dos diversos postos de trabalho;
  • Conhecimento da legislação aplicável (principalmente as Normas Regulamentadoras, NRs, do Ministério do Trabalho e as NBRs, da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT);
  • Aplicação de ferramentas de trabalho como NIOSH, Índice OCRA, TOR-TOM, entre outras;
  • Pesquisa de clima organizacional;
  • Identificação das demandas de correção e adequação;
  • Discussão das medidas propostas;
  • Definição das medidas de orientação e capacitação.

Para sua implementação, muitas empresas criam um comitê de ergonomia, em geral, constituído por pessoal da Segurança do Trabalho, Medicina do Trabalho e líderes de equipes, capitaneados pela gestão de RH da empresa.

Porém, quando a empresa não dispõe de mão de obra interna com expertise no assunto, a melhor saída é contratar empresas especializadas no assunto, que poderão realizar um adequado diagnóstico da situação da empresa e acompanhar os planos de ação das medidas corretivas.

Com essas observações, você já está preparado para considerar a implantação de uma política de ergonomia no trabalho na sua empresa.

Se você gostou deste post, compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais. Eles, certamente, ficarão agradecidos pelas dicas que você indicar!

Autor

Escreva um comentário

Share This