Saiba quais são os principais desafios do transporte de carga no Brasil.

O Brasil tem uma extensa malha rodoviária, na qual transitam milhões de veículos. No entanto, suas condições permitem observar muitos desafios do transporte de carga terrestre. Como a infraestrutura rodoviária é de baixa qualidade, as empresas transportadoras precisam superar muitos obstáculos para ter sucesso.

Assim, há grande perda de tempo e de produtos nos processos de logística, resultante, principalmente, das características das estradas do país. Por sua vez, alguns segmentos cujos produtos poderiam seguir por via ferroviária, por exemplo, também ocupam as estradas, aumentando as dificuldades.

Continue neste post e saiba quais são os principais desafios enfrentados pelo transporte de carga no país.

Insuficiência da malha rodoviária

A malha de transporte no país foi assentada tendo como base as rodovias, em detrimento da exploração de ferrovias e hidrovias. Desse modo, a logística interna nacional envolve majoritariamente as estradas como ligação entre os municípios brasileiros.

No entanto, um estudo realizado pela Bain & Company (Infraestrutura rodoviária no Brasil: para onde vamos?) aponta a existência de uma demanda de 21 mil quilômetros de novas estradas. Com um incremento desse porte nos caminhos do Brasil, poderiam ser reduzidos significativamente os tempos e os custos de percurso, assim como a sinistralidade, cuja presença é marcante.

Má condição das estradas

As estradas brasileiras, de modo geral, são muito deficitárias em infraestrutura adequada para o transporte. A qualidade estrutural é baixa, a manutenção é insuficiente e a ausência de suporte ao motorista profissional é patente, obrigando-o até à prática de trabalho em horário extraordinário. Tudo isso, ao mesmo tempo, cria o segundo e grande desafio para o segmento.

Desse modo, os custos envolvidos com transporte de produtos, mercadorias e pessoas tornam-se muito elevados, além das perdas substanciais observadas nas cargas. Enquanto isso, a ocorrência de acidentes resultantes das más condições das estradas confere ao país um destaque triste nos índices estatísticos de óbitos e perdas de carga.

Diversificação dos meios de transporte

Para além das estradas, um grande desafio para o transporte nacional é a diversificação dos modais empregados. Em especial, existem condições excelentes para a utilização de hidrovias e ferrovias no Brasil.

Um trabalho dessa natureza desafogaria a malha rodoviária, reduzindo o custo atual e agilizando os deslocamentos de carga e de passageiros. As dimensões territoriais e os recursos naturais permitem uma investida nessa direção.

Acesso difícil a alguns municípios

Inúmeros municípios brasileiros são desprovidos de infraestrutura viária adequada para o trânsito de ônibus e caminhões. Assim, a ausência de pavimentação, a irregularidade e o estreitamento das pistas e vias, entre outras coisas, tornam quase impraticável um deslocamento regular, além de constituírem forte fator de estresse no trabalho do motorista.

Dessa forma, as transportadoras são obrigadas a implantar as chamadas taxas por difícil acesso, a fim de cobrir os custos extras para viabilizar soluções. Muitas vezes, travessias de balsa e a utilização de aeronaves são necessárias para se chegar a determinadas regiões.

Circulação restrita em meios urbanos

Centenas de municípios brasileiros têm leis que impedem a circulação de caminhões em boa parte de suas vias urbanas. A proibição pode dizer respeito aos horários de deslocamento ou mesmo às operações de carga e descarga.

Para o segmento de transportes, contornar literalmente o problema constitui um grande desafio. A situação promove uma elevação dos custos praticados, forçando a cobrança da taxa de restrição de trânsito.

Muitas vezes, as restrições exigem o emprego de veículos utilitários para se concretizar a entrega. Todo o contexto requer uma boa dose de planejamento logístico em busca de soluções alternativas.

Adequação da logística

A realidade das estradas nacionais e as restrições existentes em alguns municípios tornam o exercício da logística especialmente difícil. Assim, um grande desafio é a adequação das estratégias, percursos e horários, entre outros, a fim de contornar e superar as dificuldades da realidade brasileira.

Por sua vez, a inversão de sentido provocada pelo surgimento das demandas de logística reversa constitui outra difícil tarefa a cumprir. Assim, as ações de gestão de estoque, armazenamento, distribuição e entrega precisam ser estrategicamente estruturadas para se adequar às necessidades impostas pelas novas demandas.

Segurança no transporte de cargas

O Brasil é considerado um dos países com maiores riscos para o transporte de carga em todo o mundo. Nos últimos anos, o número de roubos de carga cresceu ininterruptamente e, desse modo, toda viagem para entrega passa a ser uma aventura.

Essa realidade eleva muito os custos do transporte e, em diversos casos, já se incorporou ao preço do frete. Entre os segmentos mais visados pelas quadrilhas de roubo de carga, podem ser destacados:

  • alimentos e bebidas;
  • cigarros;
  • combustíveis;
  • eletrônicos;
  • medicamentos;
  • cosméticos;
  • peças automotivas.

Nesse contexto, algumas medidas tornam-se obrigatórias para a continuidade da atividade, dentre as quais se destaca a contratação de um seguro de carga e seus possíveis adicionais, além da proteção patrimonial da empresa.

Contratação de seguro

A principal medida a ser tomada é a contratação de um seguro para o transporte de carga. Na verdade, trata-se de uma iniciativa indispensável.

O seguro de carga foi desenvolvido especialmente para essa condição de transporte com risco de perda por acidente ou roubo. Com ele, fica-se protegido dos prejuízos resultantes dessas ocorrências.

Capacitação de motoristas e colaboradores

Motoristas e demais colaboradores precisam estar preparados para os procedimentos a serem adotados quando da ocorrência de assaltos. Evitar ações descuidadas pode reduzir perdas, sobretudo as de natureza humana.

Redefinição de rotas

Um dos trabalhos que a segurança deve considerar é a elaboração de rotas alternativas, sempre que possível. Para tanto, devem ser considerados os horários, evitando-se os deslocamentos noturnos e os trechos com maiores índices de assaltos.

Avaliação da demanda por escolta armada

Por fim, há que se considerar a necessidade de contratação dos serviços de uma escolta armada. Às vezes, a situação de risco requer essa solução, com a qual é bem maior a probabilidade de que tudo corra bem com o transporte.

Para isso, é necessário verificar junto à empresa a ser contratada alguns requisitos básicos que a tornem uma opção segura. Assim, confira a existência de registro na Polícia Federal, assim como uma boa reputação no mercado, além de comprovação do exercício regular da atividade.

Com o que foi exposto, pôde-se comprovar a difícil realidade da inteligência logística no país e a dimensão dos desafios do transporte de carga.

Gostou deste post? Então, saiba agora por que sua empresa deveria investir em um seguro de frotas.

Autor

Escreva um comentário

Share This