Conheça os 6 erros mais comuns na gestão de obras

Para que seja bem-sucedida, uma construção requer planejamento. No entanto, em razão de erros na gestão de obras (que costumam ser comuns), nem sempre as coisas são mantidas sob controle.

De modo geral, essas falhas alteram o cronograma da obra e impactam o planejamento financeiro, trazendo custos maiores — quando não provocam prejuízos. É preciso, portanto, conhecer tais fragilidades e saber como superá-las.

Quer ver quais são os 6 erros mais comuns na gestão de obras e aprender a evitá-los? Continue a leitura deste artigo!

1. Descuido com a segurança dos funcionários

O descuido com a segurança no canteiro de obras não é apenas um erro de gestão, mas uma infração facilmente percebida pela fiscalização. Por isso, o cuidado com as condições no ambiente laboral deve ser sempre redobrado pela empresa e pelos funcionários.

Nesse sentido, é preciso considerar especialmente a utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs). Na verdade, deve haver um controle do fornecimento e do emprego adequado do EPI para cada trabalhador.

Para tanto, o gestor deve disponibilizar o equipamento, instruir sobre seu uso e fomentar a utilização. Na verdade, todo esse empenho precisa incluir ainda uma cobrança permanente, capaz de promover o efetivo emprego do EPI apropriado.

De modo geral, é recomendado seguir o roteiro abaixo para garantir a segurança no canteiro de obras:

  • planejar a segurança do local antes do início do trabalho;
  • considerar as previsões das normas de segurança;
  • capacitar a equipe;
  • promover a cultura da prevenção de acidentes;
  • fazer uma precisa gestão dos EPIs necessários e fornecidos.

2. Comunicação inadequada com a equipe

O sucesso da gestão de um canteiro de obras requer comunicação eficiente entre o responsável e sua equipe, assim como das diversas áreas entre si. Considere que existe uma diversidade de atividades, mas todas devem seguir no mesmo sentido para alcançar o objetivo em comum.

Para obter esse resultado, é preciso manter a harmonia do conjunto — o que requer boa comunicação. Isso é imprescindível sobretudo quando existirem dúvidas ou dificuldades que possam afetar o bom andamento dos trabalhos.

Podemos afirmar, portanto, que saber a quem se reportar a partir de canais claramente definidos é importante. Porém, fazer a informação fluir e propiciar as respostas necessárias são cuidados prioritários.

Considere que a comunicação, quando é falha, pode favorecer o aparecimento de um clima ruim no ambiente de trabalho. Como resultado, há a possibilidade de ocorrerem quedas na produtividade e tomadas de decisões equivocadas.

3. Descumprimento do cronograma

Uma das principais falhas no segmento da construção civil é o atraso na entrega de uma obra. O descumprimento do cronograma operacional (existe também um financeiro) geralmente está na raiz do problema.

Não se pode desconsiderar a possibilidade do surgimento de fatores externos capazes de afetar o andamento dos prazos inicialmente previstos. Mas mesmo o clima e a demora na entrega por parte de um fornecedor, por exemplo, devem ser levados em conta durante a elaboração do cronograma.

Dessa forma, o planejamento da obra precisa considerar prazos realizáveis, assim como prever circunstâncias contrárias. Uma vez definido, o cronograma tem que ser seguido. Para tanto, todo empenho deve ser aplicado a fim de evitar sua compensação com o uso de um horário extraordinário.

4. Falta de controle do material

Receber o material no canteiro e descuidar-se de sua gestão é uma falha comum durante as obras. O mesmo se aplica àquilo que está em uso e ao que já foi utilizado.

Quando existe a má gestão do estoque, pode ocorrer um maior número de perdas. Esse fato, por si só, aumenta a demanda por material acima do previsto, além do desperdício que comumente é observado.

O resultado que se obtém nesses casos é um significativo aumento no custo real da obra, muitas vezes ultrapassando as previsões do planejamento financeiro. Por essa razão, além do cuidado na gestão, a capacitação da equipe é essencial para que sejam evitadas perdas de tal natureza.

As iniciativas necessárias a um bom controle de material podem ser assim resumidas:

  • planejamento da demanda;
  • treinamento do pessoal para a utilização;
  • gestão organizada e eficaz do estoque;
  • acompanhamento do consumo.

5. Ausência de controle financeiro

Um controle eficiente começa com o planejamento adequado e a elaboração do respectivo cronograma financeiro. Este último documento, por sua vez, consiste na programação do desembolso de dinheiro para o pagamento das diversas despesas envolvidas na obra.

Assim, desde o pagamento dos trabalhadores até a aquisição dos insumos, o cronograma financeiro é a base para o controle dos gastos em uma construção. Além disso, existem os custos indiretos, que não podem ser desconsiderados.

A gestão financeira da obra deve levar em conta as despesas efetuadas diariamente, mantendo as informações sempre em referência às previsões do planejamento. Embora a fórmula seja simples (“não se pode gastar mais do que se tem”), na prática é bem comum que haja um avanço das previsões e os gastos superem aquilo planejado.

Sem um adequado controle financeiro, a situação de inadimplência com fornecedores e a dificuldade de pagamento da folha de pessoal serão sempre sombras capazes de inviabilizar a conclusão da obra. Tais riscos precisam ser evitados com muito cuidado.

6. Perda do escopo do projeto

Por mais experiente que seja o gestor da obra, não se pode perder o escopo do projeto ou afastar-se de suas previsões originais. Isso significa que é essencial manter o foco. Por vezes, o excesso de autoconfiança induz a um desvio de estratégias, podendo ocasionar retrabalhos e perdas de material.

Para que o resultado seja o sucesso pretendido, os diversos projetos que compõem a obra precisam estar harmonizados. Não se afastar do escopo dessas previsões estruturais, da hidráulica e da elétrica, entre outros, é fundamental para alcançar o objetivo do trabalho.

Assim, na ocorrência de dúvidas quanto ao projeto, uma boa discussão com os diversos setores envolvidos pode esclarecê-las e mostrar o melhor caminho. Nesse sentido, como já apontado anteriormente, a comunicação precisa fluir com facilidade.

Com as dicas acima, você pode evitar os erros na gestão de obras que comumente são observados. Vale a pena levá-las em consideração!

Nosso artigo foi útil para sua rotina de trabalho? Então, aproveite e conheça agora o seguro para riscos de engenharia!

Autor

Escreva um comentário

Share This